José Rodrigo Rodriguez

Archive for the ‘O Tamanduá Bandeira pergunta…’ Category

O Tamanduá bandeira pergunta…

In O Tamanduá Bandeira pergunta... on 26/04/2010 at 17:36

Às vezes eu fico em dúvida diante das evidências mais inequívocas. Tem dias que eu acredito que comprar em dez vezes sem juros é sem juros mesmo, que a Marina Silva não é criacionista e que existe feijoada light.

Nestas ocasiões, fico precisado da ajuda de pessoas capazes de me fazer voltar à realidade. Continuo a registrar neste blog algumas destas questões sob o nome “O Tamanduá Bandeira pergunta…”, sempre em busca de auxílio para ser capaz de ver aquilo que está diante do meu nariz.

Pois mesmo dando bandeira, tem gente (como eu) que não se toca!

O Tamanduá Bandeira…

pergunta:

Sobre futebol moleque

A glorificação do futebol moleque e do craque, tão talentoso que não precisa sequer treinar, tem alguma coisa a ver com a falta de importância que o Brasil dá ao esforço, ao trabalho e à dedicação? Tem algo a ver com o fato do Brasil ser um país de empresas familiares e muitos cargos em comissão, em que a meritocracia ainda não tomou conta, de maneira definitiva, do acesso aos bons empregos, e resta sonhar com o “milagre” do talento para conseguir um lugar de destaque?

Sobre relacionamento no trabalho

Nenhum convite para almoço ou happy hour é motivado pelo afeto? É tudo networking? Ninguém gosta de mim?

Sobre bigodes

Para além da repressão, vinda de todos os lados, aos bigodes masculinos, há alguma chance deles voltarem a ser moda?

O Tamanduá Bandeira pergunta…

In O Tamanduá Bandeira pergunta... on 07/12/2009 at 12:27

Às vezes eu fico em dúvida diante das evidências mais inequívocas. Tem dias que eu acredito que a vodka importada da minha caipirinha é mesmo importada, que meu carro tem de fato, um grave problema no alternador reverso esquerdo e que o preço justo para trocar é mesmo de 850 reais, e que a compra de milhares de reais em panetone para as crianças pobres com a utilização de recursos de origem duvidosa é um ato humanitário de alta transcendência moral.

Nestas ocasiões, fico precisado da ajuda de pessoas capazes de me fazer voltar à realidade. Continuo a registrar neste blog algumas destas questões sob o nome “O Tamanduá Bandeira pergunta…”, sempre em busca de auxílio para ser capaz de ver aquilo que está diante do meu nariz.

Pois mesmo dando bandeira, tem gente (como eu) que não se toca!

O Tamanduá Bandeira…

pergunta:

Sobre o campeonato brasileiro de futebol de 2009

Ganhar o capeonato brasileiro é bom, parabéns aos flamenguistas, mas ele ter acabado não fez surgir em você um profundo sentimento de alívio e gratidão? Uma alegria contagiante nascida do fato de não sermos mais obrigados a ver tanto futebol ruim?

Sobre o coelhinho da páscoa

A compra milionária de panetones para fins de benemerência é a desculpa que o Governador José Arruda do Distrito Federal arrumou para justificar alguns gastos suspeitos. Se a justificativa do Governador for verdadeira, não parece que o gasto foi pequeno? Porque privar a população de bolos de reis, ovos de páscoa e de colomba pascoal? Seria o caso de solicitar mais verbas?

Sobre a tragédia e a farsa

O vinil voltou, agora como farsa e como cult. Todo fissurado por música já não dizia, faz uns vinte anos, que as remasterizações em CD destruíram várias gravações originais?  No entanto, diante da imensa quantidade de pessoas moderninhas que hoje dizem que o som do vinil é, de fato, superior ao do CD, que agora só ouvem vinil, mesmo quando se tratam de discos gravados sob o império do CD, discos de música eletrônica, altamente tecnológicos e nada acústicos,  não dá vontade de começar a defender o CD como forma superior de gravação ?

O Tamanduá Bandeira pergunta…

In O Tamanduá Bandeira pergunta... on 16/10/2009 at 16:31

Às vezes eu fico em dúvida diante das evidências mais inequívocas. Tem dias que eu acredito que o Sarney nunca empregou parentes sem concurso público, que  vou emagrecer sem fazer exercícios, seguindo apenas a dieta do abacaxi macho, e que beber todos os dias até as dez da noite não é um sinal claro de alcoolismo. 

Nestas ocasiões, fico precisado da ajuda de pessoas capazes de me fazer voltar à realidade.

Continuo a registrar neste blog algumas destas questões sob o nome “O Tamanduá Bandeira pergunta…”, sempre em busca de auxílio para ser capaz de ver aquilo que está diante do meu nariz.

Pois mesmo dando bandeira, tem gente (como eu) que não se toca!

O Tamanduá Bandeira…

 tamandua-bandeira2

… pergunta:

 Sobre comportamento e sexualidade…

Casamento_gay2

Na década de 60 o dever de casar foi questionado pela juventude e isto foi considerado uma evolução nos costumes, um aumento do grau de liberdade, juntamente com a aceitação de comportamentos sexuais diferentes, como a homossexualidade e outras variantes. Podia-se viver a sexualidade em outros padrões, não necessariamente monogâmicos, não necessariamente heterossexuais.

Hoje em dia,  a luta dos homossexuais para se casarem em padrões tradicionais e a valorização do casamento pela juventude, especialmente cristã, mas não exclusivamente,  é vista como uma evolução nos costumes, digna de ser celebrada e incentivada, a manifestação de uma escolha consciente tomada por todos.

Pergunto, houve aumento ou diminuição do espaço de liberdade para vivermos nossa sexualidade?

 

Sobre crime e sociedade….

cadeia1

A criação de cada vez mais crimes não exige a criação de cada vez mais vagas nas cadeias o que exige cada vez mais gastos para sustentar presos, gastos que boa parte da sociedade considera como indesejados? A solução para este problema não poderia ser deixar de criar tantos crimes e optar por outras formas de lidar com os problemas sociais?

 

Sobre culinária …

coelhinho1

O panetone e a colomba pascal, afora alguns detalhes na cobertura, não têm exatamente o mesmo gosto? Isso significa que Natal e Páscoa, na verdade, são a mesma festa?

O Tamanduá Bandeira pergunta…

In O Tamanduá Bandeira pergunta... on 24/09/2009 at 11:43

Às vezes eu fico em dúvida diante das evidências mais inequívocas. Tem dias que eu acredito que focinho de porco é mesmo tomada, que sopa de pedra é uma caríssima iguaria da cozinha tradicional francesa e que “comer tomate cru” é um conselho de saúde oferecido por um amigo preocupado com meu bem estar. 

Nestas ocasiões, fico precisado da ajuda de pessoas capazes de me fazer voltar à realidade.

Continuo a registrar neste blog algumas destas questões sob o nome “O Tamanduá Bandeira pergunta…”, sempre em busca de auxílio para ser capaz de ver aquilo que está diante do meu nariz.

Pois mesmo dando bandeira, tem gente (como eu) que não se toca!

 

O Tamanduá Bandeira…

tamandua-bandeira2 

… pergunta:

 

Sobre artes e espetáculos…

leila-lopes

Quando uma moça bonita que saiu nua numa revista masculina diz que deseja ser reconhecida pelo talento e não pela beleza, isso quer dizer que ela pretende estudar teatro, fazer aulas de canto, dança, voz e se dedicar à carreira de atriz, participando de montagens desafiadoras e complexas para, um dia, ser capaz de interpretar com competência um personagem de Shakespeare, Boal, Beckett; um musical, uma peça de Arthur Miller ou de Eugene O’neil?

Sobre economia e negócios…

Wall Strret-Touro

Quando os mesmos ecomistas que previam um crescimento inunterrupto nos próximos anos e não tinham a menor idéia do tamanho da crise que se avizinhava dizem que tudo está bem, que agora a economia retomou o rumo certo, devemos nos acalmar, voltar à tranquilidade do período anterior e, como estão nos aconselhando, gastar nosso dinheiro sem medo de sermos felizes?

 

Sobre restaurantes e culinária…

passar-a-carne3

Quando alguém pede num restaurante que sua carne venha “um pouquinho passada do ponto” e o garçom assente com a cabeça sem pestanejar, isso é sinal de que ele levou a sério o pedido e que o cozinheiro sabe exatamente como fazer uma carne “um poquinho passada do ponto” ou significa, simplesmente, que a carne virá bem passada?

O Tamanduá Bandeira pergunta…

In O Tamanduá Bandeira pergunta... on 26/08/2009 at 14:52

Às vezes eu fico em dúvida diante das evidências mais inequívocas. Tem dias que eu não acredito na brancura do cavalo branco de Napoleão, desconfio que o Astro Rei não seja o Sol e que gemada seja feita de giz de cera amarelo com açucar. Nestas ocasiões, fico precisado da ajuda de pessoas capazes de me fazer voltar à realidade. Vou registrar neste blog algumas destas questões sob o nome “O Tamanduá Bandeira pergunta…”, sempre em busca de auxílio para ser capaz de ver aquilo que está diante do meu nariz. Pois mesmo dando bandeira, tem gente (como eu) que não se toca!

O Tamanduá Bandeira…

tamandua-bandeira2

… pergunta:

 

Sobre sexo e relacionamento…

bem me quer

Convidar uma mulher com que se tem saído por alguns meses para viajar durante cinco dias para outro estado brasileiro com o objetivo de apresentá-la para um casal de amigos muito queridos é sinal suficiente de que a relação está ficando mais séria?

 

Sobre política e economia…

suplicy-cartao-vermelho-600

Pedir publicamente a renúncia do Presidente do Senado dias depois de seu partido ter apoiado o arquivamento de denúncias graves contra o mesmo sem renunciar ao mandato de Senador ou sequer fazer menção de sair do seu partido, é sinal de oportunismo com motivações eleitoreiras?

 

Sobre artes e espetáculos…

se beber nao case

Quando praticamente todos os jornais escritos, programas de TV, colunistas e críticos de cinema dizem, ao mesmo tempo, que um filme mediano é absolutamente excepcional e deve ser visto o mais rápido possível, isso seria um sinal de que eles teriam sido alvo de uma campanha publicitária agressiva por parte de um estúdio ou distribuidora?

 

O Tamanduá Bandeira pergunta, o Tamanduá Bandeira quer saber….