José Rodrigo Rodriguez

Sou prisioneiro de um nome

In Poemas para mim mesmo on 11/06/2012 at 12:30

Sou prisioneiro de um nome
mas isso todo mundo sabe.

E se você algum dia
vier mesmo a gostar de mim
não seja cúmplice desta margem
cujo tempo me carrega.

Um nome lábil
extrai-se da parte fixa
de quem fala
de quem risca
este contorno

que a mão revisa.

Sou prisioneiro de um tom,
mas ao menos não me diga
se um dia gostar de mim
sem cara de nojo
ou sono.

Aquele que me batiza
na água benta correndo
para tudo tempo
certo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: