José Rodrigo Rodriguez

Mania de saber

In Poemas para mim mesmo on 15/08/2011 at 4:33

O hábito de saber não é humano,
mas divino.
Heráclito

É na poesia que eu desaprendo
a contar, a soletrar,
fantasmas recidivos,
mensagens de além-túmulo,
escrita ditada pelo capeta.

Mas quando a noite se organiza
com suas luzes que se acendem
uma a uma
e eu estou andando pela rua,
ou eu estou girando no palco
ou eu estou vagando na sala
ou na cozinha fria em que eu entro
para comer rabanetes ou para tomar
café com leite e ovos quentes.

Ou quando eu sonho ou quando
eu tremo ou quando eu caio,
é na poesia que eu realmente fico,
homem de lata, boneco de madeira,
despacho de macumba ou santo milagreiro.

É na poesia que eu finalmente me calo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: