José Rodrigo Rodriguez

A moeda das constelações

In Poemas para mim mesmo on 17/07/2011 at 14:48

A moeda das constelações
vai abrindo todas as portas
enquanto eu tremo dentro da baia
e pressiono a palavra
que desmonta
pedra por pedra
o vazio de muros baixos
obstáculo que se divisa
lá em cima
um monte no fim deste vale
montanha, torre,
edifício.

Ondulações da terra fofa
circulam entre meus punhos
suas patas
num só golpe
cavalo de cedro
vento reto
grade de ferro
que sibila.

Eu desço deste aclive
eu desmonto
para trás ou para frente
estrada nua
risca de tempo
palavra sem sela
no cerne da estrutura:
uma casa, uma ponte
um cavalo de cedro
na porta de entrada
uma rede que não pende

eu cavo, eu cravo,
eu tremo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: