José Rodrigo Rodriguez

Sócrates (poema para São Paulo)

In Poemas para mim mesmo on 25/01/2011 at 13:35

Não festejamos o aniversário de placas tectônicas
de falhas geológicas, de tufões ou labirintos,
discurso sempre pronto, todo reto e coerente,
mas a filosofia é sempre ameaça de morte.

Não festejamos o ódio ou a confusão de Afrodite,
as mammas racistas com suas negras apodrecidas,
os índios escravizados e as índias prostituídas,
mas a filosofia é sempre ameaça de morte.

O que escapa da palavra cega luz
São Paulo sem controle,
sem comemorações.

De cada pessoa,
amo o medo
e suas dúvidas
da minha cidade,
a força corrosiva.

Anúncios
  1. Excelente. Beijos paulistanos.

  2. Beijo Paulitcha!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: