José Rodrigo Rodriguez

Poesia de invenção

In Poemas para mim mesmo on 16/01/2011 at 14:05

Sempre tive muitas idéias para
novos textos, novos negócios
novas viagens, novos países
novos regimes, novas filosofias,
novos papas, novos governadores,
novos ministros de estado da
da economia responsáveis pelo
planejamento estratégico do
desenvolvimento sustentável
das diversas regiões das Américas,
África, Ásia, Oceania e Europa,
mas agora não.

Olhando para dentro
mais recentemente
eu vi o espaço vazio
e a expansão que
o completaria
promessa
renovada
mas que
nunca
cessa.

Uma idéia de cada vez
seja eu capaz
de uma idéia de cada vez
seja eu capaz
peço a este Deus
que ao inventar
acredito.

Anúncios
  1. Zé,
    Lindo poema em uma linda forma.
    Que esta quietude seja produtora de muitas outras boas ideias (uma por vez!).
    Beijo,
    Ester.

  2. “peço a este Deus/que ao inventar/acredito”: se Deus se inventa, se nada pode ser estabilizado, a não ser pela crença, na verdade a prece é vazia e/ou instável… Mas vou continuar rezando.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: