José Rodrigo Rodriguez

Cifra

In Poemas para mim mesmo on 20/11/2010 at 0:05

Peço mais um copo de cólera
bloody mary sangue e espuma
deus ex machina tropeçando nas cadeiras
chama de isqueiro nas mãos abanando
ponte suspensa na cidade sem esquinas.

Um pensamento que se pega no ar
economizando palavras com os olhos
atrás dos óculos atrás das mãos atrás
da sombra azul deste dormitório
com a boca no cano de descarga
em óxidos em gazes tóxicos
engolindo fumaça
como notas musicais.

Comer a sílaba, comer o vinco
comer a chave, comer o pano
comer um sino, comer um tipo,
do que for real, um copo vazio
do que for sereno, o mês, um ano.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: