José Rodrigo Rodriguez

Dormir

In Poemas para mim mesmo on 14/10/2010 at 2:26

Sono, fome, tempo,
corpo gasto.

Eu espero amanhecer
para tentar dormir quando
já não for mais possível,
a cama arrumada e um
cheiro de café com leite.

Eu espero amanhecer
para tentar dormir quando
não houver mais tempo,
os carros carregando
as crianças e os cachorros.

Eu não quero mais dormir,
faz escuro, faz sono, faz
tempo: Estão vivas! As
crianças, os cachorros

estão vivos! Agora eu sei,
mas só agora, na vigília
de todas as horas. Eu
evito fechar os olhos:

corpo gasto.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: