José Rodrigo Rodriguez

Ausente

In Poemas para mim mesmo on 19/09/2010 at 1:44

Veja as mulheres na janela
conversando e bebendo água
em copos vermelho sangue,
vestidas de algodão e linho,
veja o cachorro deitado a seus pés
comendo um osso ou roendo um
pedaço de madeira, branco como
minha pele, neste Sol de meio dia.

Veja o carro passando devagar
as crianças nas janelas, bexigas
coloridas, saindo por todos os lados,
floresta de braços, de mãos e de pés,
ouça a música que escapa pelo vão
entre o vidro e a lataria, a música
que as crianças ouvem quando estão
tão alegres assim, música de festa.

Veja o café sobre a mesa da sala,
pão, manteiga, queijo e presunto,
veja esta laranja, esta banana, esta
maçã que seguro diante dos seus olhos
veja como eu coloco açúcar na xícara
e como a colher mergulha no leite
atravessando a espuma branca, veja
como eu abro a tampa do pote requeijão.

Veja como eu pego sua mão e levo
ao prato, como levanto suas pernas
para aprumar seu tronco na cadeira,
veja como coloco alguns bocados de
torta e de frutas em sua boca, veja
a manhã renascida, a música que canto
em seus ouvidos, veja como eu conto
a você, tudo o que está acontecendo.

Você não precisa dizer mais nada
vamos combinar, fica assim, seu
silêncio guardado atrás de tantas
portas, eu não quero perturbar
nunca mais o seu sono, vamos
combinar, fica assim, eu faço nascer
o seu dia e você, você sequer se mova
porque eu, eu serei seus olhos
eu serei a sua carne
eu serei sua boca
eu serei sua vida.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: