José Rodrigo Rodriguez

Elétrico

In Poemas para mim mesmo on 16/09/2010 at 4:22

O silêncio está sobre a mesa
depois de passar de mão em mão,
como uma carta capaz de revelar
o que há do outro lado: ele é de ouro.

O silêncio está dentro do vaso
e como as flores mais comuns
será trocado por outro, tão logo
caia morto: mais alguns dias.

O silêncio sempre faz anos,
mas ainda é velho como o Sol,
o silêncio tem ombros tensos
e como um cão: sempre alerta.

O silêncio é cinza fresca,
final do som num suspiro
o silêncio é minucioso
e trabalha como formiga:

ele é elétrico.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: