José Rodrigo Rodriguez

Eu te amo, ar condicionado

In Poemas para... on 23/02/2010 at 18:31

Tudo estava pelando, tudo indo tão mal,
minha sala parecia ficar no Senegal,
tudo grudando e melado, a cabeça pára,
minha sala parecia ficar no Saara.

Mas aquele bafão danado
você veio e refrescou,
e o calor desesperado,
você veio e acabou.

Adeus pizza no sovaco,
bigodinho de suor,
adeus costas ensopadas,
adeus poça no lençol.

Sem você até a cueca molha,
sem você tudo cheira mal,
sem você minha vista se embaralha,
sem você eu mergulho no lençol.

Sem você, suo até pra coçar a orelha,
sem você, minha privada é piscina,
sem você, fico cheio de brotoeja,
sem você eu não quero abraçar as mina.

Agora aqui urso polar anda até de capote,
vou vestir o esqui na neve para ir te dar um picote,
agora aqui na gaveta guardo gelo e picolé,
tomo chocolate quente no lugar do meu café.

Tudo estava difícil, ia tudo tão mal,
minha sala parecia ficar no Senegal,
tudo meio sujinho, tudo meio melecado,
até eu ligar, no talo, o meu ar-condicionado!

Anúncios
  1. Hahahahahahahahahahahahaah

  2. Maravilha!

  3. kkkkkkkk!! ele é O salvador dos cariocas… meu deus!

  4. kkkkkkkk!! ele é O salvador dos cariocas… meu deus!

  5. Depois de ter passado uma hora e meia no trânsito, cozinhando a 50 graus na minha carroça, acho que o poema é homenagem merecida! Parabéns ao poeta!

  6. Ai caramba!!!! hahahahahahahahaha

  7. Brotoejas,Senegal e Saara… bela síntese!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: